Greater Internet Fuckwad Theory, de John Gabriel

por Marcel Leonardi

Em minha atuação profissional, tenho observado um aumento expressivo no número de ações de reparação de danos morais motivadas por condutas online: xingamentos por e-mail, comunidades ofensivas em web sites de redes de relacionamento, difamações em geral, conteúdo ilícito em blogs e exposição de imagens comprometedoras em web sites de compartilhamento de fotografias.

Em alguns casos, os responsáveis são indivíduos que levam vidas offline aparentemente normais, porém se comportam de modo absolutamente irracional online. Alguns parecem até sofrer de bipolaridade.

E, no entanto, a explicação é bem mais simples, como ilustra este clássico comic do Penny Arcade:

Penny Arcade - Greater Internet Fuckwad Theory

A tirinha consegue resumir bem a questão: ao utilizar a Internet, uma pessoa normal, protegida por um suposto anonimato, diante de uma platéia, transforma-se em um completo idiota.

Essa teoria é o equivalente moderno da conhecida Tragedy of the Commons, popularizada por Garrett Hardin em seu artigo com o mesmo nome: como manter um recurso comum quando todos aqueles que têm interesse em sustentá-lo também têm a oportunidade e o incentivo para abusá-lo?

Quem participa de fóruns ou listas de discussão online já observou que, por melhor que seja o nível dos usuários, a utilização de pseudônimos facilita o aparecimento de trolls – aqueles indivíduos dispostos a ignorar regras básicas de comportamento e de netiqueta, interessados em destruir a comunidade e inviabilizar os debates. Desde os tempos da Usenet isso vem ocorrendo. O problema tende a aumentar, ante a utilização cada vez maior de espaços online de discussão, notadamente web sites de redes de relacionamento, tais como OrkutMySpaceFacebook.

Como não há palhaço sem espectadores, a solução muitas vezes é ignorá-lo. Se a conduta se repete, o ideal é banir o sujeito ou, como último recurso, migrar para outro serviço.

Apenas em situações mais graves, quando realmente ocorrem danos materiais ou morais, é que se deve pensar em propor as medidas judiciais necessárias para identificar e localizar o responsável, obter as provas necessárias dos fatos e, posteriormente, ingressar com ação de reparação de danos.

A versão original da tirinha pode ser acessada no web site do Penny Arcade.

A propósito, John Gabriel, autor da “Greater Internet Fuckwad Theory”, não é nenhum filósofo da cibercultura: trata-se do personagem que representa Mike Krahulik, um dos autores do comic.