Difamação na Internet acaba na Justiça

“O acordo exigia uma retratação de A., a favor de Leonardi, via Internet, nos mesmos fóruns e pelo mesmo período de tempo que as mensagens ficaram no ar - 45 dias. ‘Eu queria uma reparação moral, como ele me difamou na Internet, nada mais justo que ele se retratasse pelo mesmo meio‘, diz Leonardi.”

Estadão.com.br

Autor: Estadão
Fonte: Estadão

Uma briga de dois advogados, que vem desde o tempo em que estudavam na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, acabou tornando-se pública na Internet e foi parar na Justiça de São Paulo. A pendenga se caracterizou na forma de mensagens com opiniões favoráveis ao armamento da população e aos pit bulls, enviadas por Luís Fernando C. A. a alguns fóruns de discussão. O único problema: C.A. não assinou o seu nome nas mensagens e sim o do desafeto Marcel Leonardi. Mas ele não parou aí, além de assinar o nome do ex-colega, A. ainda divulgou o e-mail de Leonardi nestes fóruns. Resultado: Leonardi apelou à Justiça e A. acabou tendo que se retratar.

“Um amigo do meu pai perguntou se eu criava pit bulls”, contou Leonardi. “Ele havia visto na Internet que uma pessoa com o mesmo nome estava escrevendo no fórum que falava sobre os cachorros.” Qual não foi a surpresa do advogado quando ele entrou no fórum do provedor e descobriu que um ´Marcel Leonardi´ assinava as seguintes mensagens: “Eu crio pit bulls somente para rinhas… Nós fazemos eles beberem sangue de galinha e porco, matarem gatos, calangos, coelhos, comerem pintinhos, matarem outros cachorros…” E também: “Segurança se faz na cintura, com uma 9 mm…. Eu por exemplo, todas as vezes que fui assaltado reagi e me dei bem… Dois malacos que já tentaram me assaltar viraram queijo suíço, foram para o inferno pela porta dos fundos…”

“Eu tinha quase certeza que não possuía um homônimo.” Foi aí que Marcel resolveu pedir ao provedor informações sobre a pessoa que havia mandado as mensagens ao fórum. “O provedor fez pouco caso do meu problema e então entrei na Justiça.” Leonardi conta que acabou ganhando o direito de saber quem era a tal pessoa que enviara as mensagens. “Não me surpreendi, já desconfiava do Luís Fernando C. A.”.

Segundo C. A., a desavença de ambos teve início na Faculdade, mas só foi realmente manifestada através de e-mails. “Em uma discussão de amigos ele se indispôs e começou a me insultar.” A partir daí os dois começaram a trocar mensagens mal-educadas. Isso ocorreu em novembro de 98 e, até então, a briga era privada. Porém, em abril do ano passado, a briga veio a público. “Me senti ofendido e mandei mensagens para os fóruns de pit bulls e violência”, disse A. “Eu quis criar um personagem nojento, para que as pessoas ficassem com raiva.” E conseguiu. Leonardi acabou recebendo mensagens de várias pessoas condenando veementemente as suas ´supostas´ opiniões.

Depois que descobriu o ex-colega, Leonardi resolveu processá-lo. “O mais importante era que ele assumisse o erro”, disse Leonardi. No final os dois acabaram chegando a um acordo. “O melhor é que esse acordo foi feito em audiência na frente do juiz, pois é muito fácil difamar alguém atrás de um computador.” Para A., não houve ´ganhador nem perdedor´. “Nós chegamos a um acordo porque eu também o processei por injúria, pelos e-mails mal-educados que ele me enviou”, contou.

O acordo exigia uma retratação de A., a favor de Leonardi, via Internet, nos mesmos fóruns e pelo mesmo período de tempo que as mensagens ficaram no ar – 45 dias. “Eu queria uma reparação moral, como ele me difamou na Internet, nada mais justo que ele se retratasse pelo mesmo meio.” O texto de mea-culpa assinado por A. foi publicado nos fóruns sobre violência e pit bulls no mesmo provedor em que as difamações foram feitas e na revista eletrônica Consultor Jurídico.